Pai espanca e mata criança de oito meses em Campina Grande (PB)

Os dois irmãos da criança presenciaram o crime; Pai assassino figiu após matar o bebê

25/06/2010 14h15

Um crime chocou os moradores do bairro de Santa Rosa, em Campina Grande. A criança de apenas oito meses de idade, Alisson Mendes da Silva, foi espancada e morta pelo pai na manhã da quinta-feira (24). Toda a agressão foi testemunhada pelos dois irmãos da criança, um menino de 5 anos e uma menina de apenas um ano e meio.

O principal acusado é Carlos Alberto Guedes da Silva, de 28 anos, albergado do presídio do Serrotão. Ele fugiu após o crime, mas foi localizado pela Polícia Militar. O acusado reagiu à prisão e foi atingido por dois tiros. Segundo a polícia, o pai confessou o crime. Ana Lúcia da Silva, mãe das crianças, também foi presa. O casal será indiciado por homicídio.

Segundo testemunhas, pai e mãe eram usuários de drogas. O crime aconteceu por volta das 6h30 em uma vila de quartos na rua Palestina, bairro de Santa Rosa. Os vizinhos estranharam quando viram as duas crianças sozinhas na frente da casa onde moravam. Após o crime, o pai teria colocado as crianças para fora de casa e mandou que elas não abrissem a porta pra ninguém.

O filho mais velho, de 5 anos, decidiu então procurar a avó que mora nas proximidades, na rua Damasco. “Ele chegou lá em casa dizendo, vovó, papai matou meu irmão”, relata a agricultora Maria de Lourdes Mendes da Silva, 54 anos. Ela é mãe do acusado, mas condena a atitude do filho. “Não concordo com uma coisa dessas. Não defendo, porque ele matou uma criança sem defesa”, desabafou a avó ainda emocionada.

Dona Lourdes confirmou que o filho era usuário de drogas e disse que pretende cuidar das crianças que sobreviveram. Ela relatou que já tinha tentado ficar com os meninos anteriormente. “O mais velho já devia estar no colégio. Eles não eram bem cuidados e não foi a primeira vez que o pai bateu neles”, lamenta.

A Polícia Militar foi acionada logo após o crime e começou as buscas pelos suspeitos. Carlos Alberto Guedes da Silva foi encontrado em uma casa nas proximidades do Rocha Cavalcante, onde ele tentou se esconder.

O cabo Pascoal participou da ação e contou que o acusado reagiu à prisão. “Derrubamos a porta e ele ameaçou a guarnição com uma faca-peixeira e fomos obrigados a disparar para rendê-lo.” O albergado foi atingido por dois disparos, um no joelho e outro no ombro.

De acordo com o cabo Pascoal, o acusado aparentava estar sob o efeito de alguma substância ainda não identificada, possivelmente algum tipo de entorpecente. Logo após a prisão, o pai da criança confessou o crime, mas não explicou os motivos da agressão. A mãe, que também tinha fugido, foi presa.



Fonte: Paraíba1

Uma janela foi aberta com a versão para impressão
Caso não tenha aberto, clique aqui para abrir novamente