Dois navios caça-minas da Marinha estão abertos à visitação no Porto

Navios-varredores Albardão e Anhatomirim poderão ser visitados pela população na tarde deste domingo

08/10/2011 12h40
Redação, com assessoria

Estão atracados no porto de Maceió, desde sexta-feira (7) até a próxima segunda-feira (10), os navios-varredores Albardão e Anhatomirim, que compõem o Grupo Tarefa 220.1, comandado pelo capitão-de-corveta Alessandro Barcellos Velasquez, chefe do Estado-Maior do Comando da Força de Minagem e Varredura. Os dois navios estarão abertos à visitação pública.

Deslocando 253 toneladas, medindo 47,2 metros de comprimento e capazes de atingir velocidades de até 22 nós (aproximadamente 41 km/h), os navios-varredores podem navegar até em profundidades de apenas dois metros e são construídos inteiramente em madeira e metal amagnético, de modo a não ativarem minas de influência magnética.

Dotados de modernos equipamentos, são capazes de efetuar a varredura de minas de contato e de influência. Os navios-varredores são comandados pelos seguintes oficiais: o Albardão pelo capitão-tenente Thiago de Oliveira Romano e o Anhatomirim pelo capitão-tenente Ocimar Martins Costa Júnior.

Os navios suspenderam âncora da Base Naval de Aratu, na Bahia, na mesma sexta-feira, para a realização de operações de contramedidas de minagem no litoral dos estados da Bahia e de Alagoas, devendo retornar a Salvador no dia 10.

Para divulgar o trabalho realizado pela Força de Minagem e Varredura e fomentar a conscientização da população sobre a atuação da Marinha do Brasil diante da importância econômica, política e estratégica do mar para o Brasil, os navios-varredores estiveram abertos à visitação pública no sábado (8) e estarão neste domingo (9), das 14 às 17 horas.

Componente operativo da Marinha, a Força de Minagem e Varredura é responsável pelo planejamento e execução das operações de contramedidas de minagem, destinadas a manter livre da ameaça de minas as linhas de tráfego marítimo ao longo do nosso litoral, as áreas marítimas adjacentes aos portos, terminais e plataformas nacionais, bem como as possíveis áreas de operações de forças navais brasileiras.



Uma janela foi aberta com a versão para impressão
Caso não tenha aberto, clique aqui para abrir novamente