Obra de duplicação da Via Expressa começa em janeiro

Executado pelo Estado e prefeitura, projeto tem 2 etapas e prevê construção de ciclovias e corredor exclusivo de ônibus

30/07/2013 17h03
Da Redação

Estimativa da prefeitura é iniciar segunda etapa da duplicação em 2014 (Crédito: Google Maps)
Estimativa da prefeitura é iniciar segunda etapa da duplicação em 2014 (Crédito: Google Maps)

As obras que o Município de Maceió fará no projeto de duplicação da Via Expressa devem ter início em janeiro de 2014. A previsão foi feita ao TNH1 nesta terça-feira (30) pelo superintendente municipal de Transportes e Trânsito de Maceió, Tácio Melo. As obras serão executadas pelo governo do Estado e prefeitura e preveem a construção de ciclovias e corredor exclusivo para ônibus.

Melo disse que a prefeitura já encaminhou a documentação necessária para o início das obras ao Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (DNIT). A estimativa é de que o trecho de responsabilidade da prefeitura seja iniciado em janeiro do próximo ano.

“O prefeito Rui Palmeira já conversou com o governador sobre o início das obras e estamos empenhados em começar o mais breve possível essa duplicação, que com certeza vai beneficiar muitas pessoas”, disse.

A obra foi dividida em duas etapas. Na primeira, o governo do Estado ficará responsável pela duplicação da via entre o posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e a entrada do Benedito Bentes.

Em entrevista à TV Pajuçara na última quarta-feira (24), o secretário de Infraestrutura do Estado, Marco Fireman, afirmou que o trecho de responsabilidade do governo ficará pronto até dezembro de 2014. Ele disse que a rodovia será equipada com ciclovia e faixa de pedestre, além de um corredor exclusivo para ônibus.

“Nosso projeto quer dar maior comodidade aos moradores e usuários da avenida. Sabemos do intenso tráfego de veículos na região e que celeridade nas obras é necessária”, afirmou.

Licitação ainda depende de pesquisa

A licitação do transporte público de Maceió segue sem data para realização e ainda depende da realização de uma pesquisa de origem e destino, na qual a prefeitura vai constatar de onde vêm e para onde vão os usuários de ônibus da capital.

“O assunto está sempre em discussão, mas ainda não temos uma previsão de quando vai sair a licitação dos ônibus. Enquanto ela não sai, vamos realizar algumas melhorias no transporte público para evitar mais transtornos aos motoristas e usuários”, comentou.

Entre as melhorias, a prefeitura quer dar início em setembro à construção de uma avenida paralela à Fernandes Lima, que passará por dentro do quartel do Exército e fará ligação com a avenida Rotary.

“Iremos desapropriar alguns imóveis para poder realizar a obra. O governo do Estado já entrou em contato com a cúpula do Exército em Brasília para agilizar o processo de liberação do espaço onde será construída a avenida”, explicou. 

Uma janela foi aberta com a versão para impressão
Caso não tenha aberto, clique aqui para abrir novamente