Morte de vereador: polícia busca novas provas em Anadia

DEIC cumpre mandados de busca, apreensão e prisão para auxiliar nas investigações da morte de Luiz Ferreira

26/10/2011 09h34
Da Redação

Sânia Tereza Barros está presa há 45 dias e é principal acusada na morte de vereador (Crédito: Josenildo Törres)
Sânia Tereza Barros está presa há 45 dias e é principal acusada na morte de vereador (Crédito: Josenildo Törres)

A Polícia Civil deflagrou na manhã desta quarta-feira (26) uma operação no município de Anadia para buscar novas informações e provas sobre o assassinato do vereador Luiz Ferreira, ocorrido no último dia 03 de setembro.

Segundo o chefe de operações da Divisão Especial de Investigação e Capturas (Deic), Paulo Rufino, são cumpridos no município mandados de busca e apreensão e prisão na cidade para auxiliar nos trabalhos de elucidação do crime, que tem como principais acusados a prefeita afastada Sânia Tereza Barros, o seu marido Alessander Ferreira e o policial militar Cláudio Magalhães, que já estão presos há 45 dias.

A operação é chefiada pela delegada Ana Luiza Nogueira. A polícia não revelou ainda maiores detalhes sobre a ação.

O assassinato do vereador Luiz Ferreira chocou a população de Anadia. Ele foi morto dentro de seu carro quando voltava de uma entrevista a uma rádio da região em que tinha anunciado sua candidatura à prefeitura municipal nas eleições do próximo ano.

No último dia 18 de outubro, o juiz Helestron Silva da Costa determinou o bloqueio dos bens e o afastamento de Sânia Tereza Palmeira (PP) do cargo de prefeita de Anadia. O magistrado acatou recomendação do Ministério Público de Alagoas (MP/AL).

A prefeita já havia sido afastada do cargo desde o último dia 12 de outubro, quando, em sessão extraordinária, os vereadores do município decidiram mantê-la fora do cargo por 90 dias.

Além de envolvimento na morte de Luiz Ferreira, Sânia também é investigada por improbidade administrativa sob acusação de desviar mais de R$ 7 milhões dos cofres do município.

 

 

 

 

Uma janela foi aberta com a versão para impressão
Caso não tenha aberto, clique aqui para abrir novamente