Departamento de Homicídios só será criado depois de concurso

14/01/2012 09h31
Flávia Batista

O delegado-geral da Polícia Civil, José Edson, concedeu entrevista na TV Pajuçara (Crédito: Tudo na Hora)
O delegado-geral da Polícia Civil, José Edson, concedeu entrevista na TV Pajuçara (Crédito: Tudo na Hora)

Anunciada por José Edson de Freitas Júnior como uma das prioridades da sua gestão frente à Delegacia Geral de Polícia Civil, o Departamento de Homicídios só deve ser criado quando os quadros da Polícia Civil ganharem o reforço anunciado pelo concurso público.

O próprio delegado-geral afirmou, em entrevista ao Pajuçara Manhã desta sexta-feira (13), que a viabilização do projeto está na dependência do aumento de efetivo já que o atual número de delgados e escrivães em Alagoas não é o suficiente para dar vazão à necessidade do Estado.

Pelas perspectivas de José Edson de Freitas Júnior, Alagoas terá pelo menos dois departamentos de homicídios: um na capital e outro em Arapiraca. Cada um deles funcionará como uma delegacia com proporções maiores. Serão cinco delegados e mais equipes. Por isso, a nomeação dos 40 delegados e mais 120 escrivães anunciados pela Secretaria de Estado da Defesa Social é essencial para a a viabilização do projeto. “Os departamentos funcionarão 24 horas por dia para atender a demanda vinda de todo Estado”, explicou o delegado-geral.

A criação do Departamento de Homicídios já tem apoio do governador Teotonio Vilela Filho e da Secretaria Nacional de Segurança Pública. As novas estruturas devem, segundo explicou o delegado-geral, trabalhar em parceria às delegacias de Repressão ao Narcotráfico. “ A criação deste departamento é uma prioridade eleita dentro de todas as outras. Queremos trabalhar conjuntamente com o combate ao narcotráfico, já que grande parte dos homicídios em Alagoas tem relação com o tráfico de drogas”, explicou o delegado.

 

 

 

Uma janela foi aberta com a versão para impressão
Caso não tenha aberto, clique aqui para abrir novamente