Quadrilha presa em Alagoas atuava também em outros três estados do Nordeste

11/07/2012 13h41
Renée Le Campion

Quadrilha atuava em outros três estados do Nordeste (Crédito: TNH)
Quadrilha atuava em outros três estados do Nordeste (Crédito: TNH)

Em coletiva na manhã desta quarta-feira (10), a Polícia Civil apresentou os oitos homens presos acusados de praticar assaltos e furtos a agências bancárias no interior de Alagoas. A quadrilha também atuava em outros estados do Nordeste, como Maranhão, Rio Grande do Norte e Pernambuco, de acordo com a PC. Todos os acusados foram capturados em Arapiraca, onde residiam com suas famílias, em cumprimento a mandados de prisão expedidos pela 17ª Vara Criminal da Capital. Dois homens continuam foragidos.

De acordo com a delegada Ana Luiza Nogueira, da Divisão Especial de Investigação e Capturas (Deic), a quadrilha é periculosa e especializada em roubos e furtos. A delegada Maria Angelita, da Serb (Seção Especial de Combate a Roubo a Bancos da PC), reiterou a informação, afirmando que o bando tem investido no crime com a aquisição de artefatos caros para a prática dos furtos, como um cilindro de oxigênio, utilizado juntamente com maçaricos. “Eles funcionam como uma organização empresarial”, citou.

Com o grupo, a Polícia Civil apreendeu três veículos - uma S10 Verde, um Fiesta prata e um Fiesta preto - todos frutos de roubos, além de R$ 3 mil em espécie, maçaricos, um botijão de gás, um cilindro de oxigênio, celulares e outros objetos. A caminhonete S10 foi usada no assalto a uma agência bancária em Campo Alegre.

A delegada Maria Angelita, da Serb, revela que as prisões são fruto de um trabalho de cerca de dois meses da Polícia Civil. Chefiados por José Nilton dos Santos, o “Maguila”, 44 anos, a quadrilha assaltou, comprovadamente, segundo a PC, as agências bancárias de Igaci, Mata Grande, Campo Alegre, Junqueiro, Batalha e Pilar. A polícia ainda investiga a participação do grupo em outros casos.

Também foram presos: Marcos Balbino da Silva, 30 anos; Leilson de Almeida Santos, 30 anos, que transportava o material furtado; Aguinaldo Pereira dos Santos, 36 anos, conhecido como “Caju”, um motorista considerado extremamente ágil pela quadrilha; Michael Gonçalves de Lima, 22 anos; o seu irmão, Maxwell Gonçalves de Lima, 32 anos; e Maxwell de Araújo da Silva; 27 anos, que atuava na execução dos crimes.

Quadrilha começou a atuar em Alagoas em 1997

O comandante da quadrilha, o “Maguila”, já articula e pratica assaltos em Alagoas desde 1997, segundo a delegada Maria Angelita, desde quando ele começou a recrutar pessoas no estado para praticarem assaltos. José Nilton chegou a ser preso no Maranhão, acusado de ter praticado 15 assaltos a bancos. Ele também atuou nos estados do Rio de Janeiro e São Paulo. Depois de ganhar liberdade, Maguila retornou para Alagoas, mas continuou viajando, assim como o restante do grupo, para roubar em outros estados.

A quantidade de dinheiro encontrada na casa de Maguila, pouco mais de R$ 3 mil, é considerada irrisória para a quadrilha. Parte do lucro gerado a partir dos roubos era, segundo a delegada Maria Angelita, dividido entre os integrantes do bando. Outra parte era voltada para investimentos em novos equipamentos, como um cilindro de oxigênio recém-comprado, de alto valor, além de farras com mulheres e bebidas.

A delegada não soube informar se os acusados têm envolvimento com o tráfico de drogas, mas afirma que são usuários.

Polícia já prendeu 31 pessoas envolvidas em assaltos a bancos em Alagoas

No início da coletiva, o delegado-geral da Polícia Civil, Paulo Cerqueira, afirmou que foram presos 31 homens acusados de roubar agências bancárias em Alagoas. Seis deles foram capturados em Delmiro Gouveia; cinco no último sábado, em Maceió; e outros 12 no município de São Miguel dos Campos. “Estas prisões serão aprimoradas ao longo do mês, no intuito de trazer mais tranquilidade e paz para Alagoas”, reforçou.

A delegada Maria Angelita destacou o trabalho em conjunto da Polícia Civil, Polícia Militar e da 17ª Vara Criminal da Capital como uma integração que rendeu bons frutos e deve ser estreitada.

Uma janela foi aberta com a versão para impressão
Caso não tenha aberto, clique aqui para abrir novamente