Irmão de prefeita é preso acusado de matar secretário do Passo de Camaragibe

07/07/2013 07h30
Luciana Buarque

Irmão de prefeita planejou e executou crime, diz polícia (Crédito: TNH1)
Irmão de prefeita planejou e executou crime, diz polícia (Crédito: TNH1)

Atualizada às 12h10

O assassinato do secretário de Agricultura de Passo do Camaragibe, Litoral Norte de Alagoas, Márcio Bonfim Alves, de 34 anos, foi planejado e executado pelo irmão da prefeita do Município, Paulo Henrique Coutinho Nogueira, de 43 anos, com o apoio de outros dois homens, entre eles um policial militar. A informação é da Polícia Civil, que prendeu os três acusados na madrugada deste domingo (7), e classificou o crime como político. Até o momento, a polícia diz que não há indícios de envolvimento da prefeita no homicídio.

Segundo os delegados que trabalham no caso, o agropecuarista e empresário Paulo Henrique, que é irmão da atual prefeita Márcia Coutinho Nogueira de Albuquerque (PMDB), não apenas arquitetou, como participou diretamente do assassinato, atirando na vítima - que foi encontrada morta com um tiro na cabeça às margens da rodovia AL-101 Norte no dia 22 de maio deste ano. As investigações apontaram que havia divergências políticas entre a vítima, Márcio Bonfim, e a atual gestão.

Paulo Henrique foi preso em um apartamento na Ponta Verde, em Maceió. Também foram presos em operação nesta madrugada o policial militar Rubens Felisberto de Ataíde Júnior, de 40 anos, conhecido como "Bureco", e Janailson da Silva Sousa Júnior, de 19 anos, que já responde por homicídio. "Bureco" foi candidato à prefeitura de São Miguel dos Milagres nas últimas eleições e é suspeito em outros crimes. Ele foi preso em Porto da Rua, povoado daquela cidade, e Janailson foi detido em Passo de Camaragibe.

Os presos estão sendo interrogados pela polícia. Todos negam ter praticado o crime, mas há "depoimentos contundentes da participação deles", segundo afirmou o delegado Rodrigo Sarmento. Com o policial militar Rubens Felisberto, foi encontrado um revólver em situação irregular, que foi apreendido para perícia. Em posse de Janailson da Silva a polícia encontrou munições de arma 9mm.

Vítima fez críticas à prefeitura

Paulo Henrique Coutinho, que já foi secretário de Viação e Obras do Passo de Camaragibe, teria desentendimentos com Márcio Bonfim, mais conhecido como "Márcio do Ademir".

Segundo testemunhas, após receber a promessa de ocupar um cargo na prefeitura e não ser convocado, a vítima fez inúmeras críticas à gestão. Em seguida, Márcio foi nomeado secretário de Agricultura para que parasse de criticar a administração municipal, de acordo com a polícia. "Agora é hora de falar menos e trabalhar mais", teria dito um membro da prefeitura à Márcio, de acordo com o delegado Rodrigo Sarmento.

Segundo o delegado, Paulo e os outros dois presos foram vistos por testemunhas no local do crime momentos após o assassinato. 

Investigações continuam

A polícia afirmou que o inquérito ainda não foi concluído e as investigações continuam, inclusive com a oitiva de mais testemunhas. "Caso surja notícia de envolvimento de quem quer que seja, a polícia irá apurar. Esclarecemos a autoria material e intelectual do crime, mas novas provas podem aparecer", disse o delegado Rodrigo Sarmento.

Durante as investigações, houve a produção antecipada de provas através do depoimento de uma testemunha à Justiça. A medida foi tomada para garantir a integridade da testemunha, que vinha recebendo "visitas" após o crime, de acordo com os delegados Robervaldo Davino e Ana Luiza Nogueira.

As prisões de hoje foram executadas em cumprimento a mandados de prisão, busca e apreensão solicitados à Justiça pela PC e expedidos pelo juiz Wilamo de Omena Lopes, da Comarca de São Luiz do Quitunde. O Ministério Público ajudou com representação contra os acusados.

No começo da manhã, o secretário de Defesa Social, Dário César, parabenizou o trabalho da polícia em seu perfil na rede social Twitter. “Bom domingo a todos os seguidores e parabéns a PC q elucidou o crime do Sec. do Passo de Camaragibe, acabando de prender todos os autores!”, publicou.

A ação foi coordenada pelos delegados Robervaldo Davino, que é diretor da Diretoria de Polícia Judiciária da Área 1 (DPJA 1), mas está respondendo, temporariamente, também pela DPJA 3; Ana Luiza Nogueira, diretora da Deic; e Rodrigo Sarmento, da Seção Anti-sequestro da Deic. Trabalharam na operação equipes da Deic e da Diretoria de Polícia Judiciária da Área 3 (DPJA 3).

Relembre o crime

No dia 22 de maio deste ano, o corpo do ex-vereador foi encontrado a cinco metros do seu veículo, que estava com o som ligado e as portas abertas. Também conhecido como "Márcio do Ademir", o secretário foi candidato a vereador por Passo do Camaragibe nas eleições do ano passado e ficou como suplente pelo PMN.

Márcio Bonfim já foi vice-presidente da Câmara de Vereadores da Barra de Santo Antônio e chegou a assumir a presidência da Casa em 2012. Também assumiu interinamente a Prefeitura da Barra de Santo Antônio quando do afastamento da prefeita Maria Cícera Mendonça Casado, conhecida como "Ciçou".

O ex-vereador integrou a Comissão Processante de Investigação, responsável por apurar denúncias sobre a emissão deliberada de cheques e a efetivação de despesas não previstas na lei orçamentária da Barra de Santo Antônio, a denominada “Farra dos Cheques”.

Leia também: Família acredita que assassino conhecia secretário de Passo de Camaragibe

Secretário parecia esperar alguém no local do crime, afirma testemunha

Viúva do secretário assassinado depõe a dois delegados da polícia

Polícia vai quebrar sigilo telefônico de secretário assassinado no interior

Uma janela foi aberta com a versão para impressão
Caso não tenha aberto, clique aqui para abrir novamente